Conjuntivite

Conjuntivite é uma inflamação da conjuntiva, que é a membrana que reveste o “branco” do olho e a parte interna das pálpebras, podendo causar alterações na córnea e nas pálpebras.

Conjuntivite

Pode ocorrer por diversas causas:

  • reações alérgicas
  • reações tóxicas
  • por vírus e bactérias

Neste últimos dois casos ela é contagiosa.

Principais sintomas:

  • Coceira
  • Olho vermelho
  • Lacrimejamento
  • Sensação de corpo estranho
  • Inchaço palpebral

Conjuntivite AlérgicaConjuntivite Alérgica
É a inflamação da conjuntiva relacionada a uma resposta imunológica secundária do organismo à substâncias denominadas alérgenos” (estranhas).
O diagnóstico é realizado com base no quadro clínico.O principal sintoma é a coceira, além dos sintoma acima citados ,muitas vezes acompanhados, também, por sintomas nasais de rinite.
O tratamento desta patologia consiste em impedir ao máximo a exposição do paciente ao alérgeno (pólen, cosméticos, ácaros, pelos de animais, etc) e administração de anti-histamínicos e anti-inflamatórios que são mais eficazes no caso da conjuntivite alérgica em forma de colírios por agirem diretamente sobre o local comprometido.
Quando seus olhos são expostos a qualquer coisa da qual você é alérgico, a histamina é liberada e os vasos sanguíneos na conjuntiva ficam inchados. O avermelhamento dos olhos se desenvolve rapidamente, juntamente com sinais de prurido e lacrimejamento.
Tendem a ocorrer em famílias, embora elas não sejam herdadas de qualquer maneira óbvia. É difícil saber exatamente quantas pessoas têm alergias, porque muitas condições diferentes são frequentemente agrupadas sob o termo alergia.
Sinais importantes que seu oftalmologista pode ver no exame de lâmpada de fenda:

  • Protuberâncias pequenas no interior das pálpebras (conjuntivite papilar)
  • Erosões na córnea
  • Nódulos de Trantas.

Tratamento de Conjuntivite alérgica
O melhor tratamento é evitar o que causa os sintomas da alergia. Pode ser impossível evitar todos os seus desencadeadores. No entanto, muitas vezes você pode tomar medidas para reduzir a sua exposição aos desencadeadores, tais como:

  • Poeira
  • Mofo
  • Pólen

Caso você apresente os sinais de conjuntivite alérgica procure um oftalmologista, o tratamento não é só importante para aliviar os sinais e sintomas, como também para evitar as complicações decorrentes da falta de tratamento adequado, como machucados na córnea , favorecer distorções da curvatura corneana podendo levar a formação de astigmatismo irregular de difícil correção, facilitar o aparecimento de infecções corneanas, etc.

O tratamento, dependendo de cada caso, consiste:

  • Colírio lubrificante pode ajudar a diminuir os sintomas. Você pode aliviar o desconforto aplicando compressas frias nos olhos.
  • Colírios anti- alérgicos,
  • Colírios esteroides suaves (para reações mais graves)
  • Comprimidos anti-histamínicos ou anti-inflamatórios

Conjuntivite bacteriana

É uma patologia bastante comum, auto-limitada, inicia-se geralmente em um dos olhos e rapidamente passa ao outro. É acompanhada de secreção mucopurulenta.
Esta secreção, que tende a se acumular nas bordas palpebrais durante o sono, faz com que o paciente acorde com as pálpebras coladas. As complicações são raras, a menos que se trate de microorganismo de alta virulência ou de paciente com baixa resistência.
A acuidade visual só diminui se houver alguma complicação na córnea.
O tratamento consiste em cuidados de higiene local (limpeza com água previamente fervida) e administração de antibiótico. A patologia é bastante contagiosa.

Conjuntivite Viral
É provavelmente a infecção mais comum a necessitar atendimento oftalmológico.
A maioria das infecções virais possuem um aspecto brando, mas algumas, possuem o potencial de produzirem severos distúrbios visuais. Tende a começar em um dos olhos, espalhando-se para o outro em poucos dias. Há mais lacrimejamento do que secreção. E esta, além da coloração clara, tem aspecto fluído, não purulento.
Os sintomas destas conjuntivites virais são mais acentuados na primeira semana e podem durar até 4 semanas.
As complicações são raras, nos casos mais severos pode levar sequelas na córnea que causam baixa de visão às vezes por meses ou mesmo anos.
Tratamento: Lave os olhos e faça compressas com água gelada, que deve ser filtrada e fervida, ou com soro fisiológico. Para a conjuntivite viral não existem medicamentos específicos. Cuidados especiais com a higiene ajudam a controlar o contágio e a evolução da doença.
Acima de tudo, não se auto medique. A indicação de qualquer remédio só pode ser feita por um médico. Alguns colírios são altamente contra-indicados porque podem provocar sérias complicações e agravar o quadro.

Embora as conjuntivites possam ser de causa alérgica, viral, bacteriana ou por irritação química, somente as infecciosas (virais e bacterianas) é que são contagiosas. As virais são as que mais freqüentemente são causas de epidemias.

Cuidados para evitar contaminar o outro olho e as outras pessoas nos casos das conjuntivites contagiosas:

  • Evitar banho em piscinas públicas.
  • Separar toalhas, fronhas, travesseiros, sabonete,etc.para uso exclusivo.
  • Pingar o colírio indicado pelo oftalmologista sem encostar o frasco nos olhos ou cílios.
  • Usar lenço de papel.
  • Lavar as mãos todas as vezes que manipular os olhos.

Todos estes cuidados devem ser verificados por pelo menos 15 dias desde o início dos sintomas nos indivíduos contaminados.

Voltar

MENU